25 de junho de 2009

A música desta longa noite aberta


“Para quien anda a tientas,
y no sabe,
la noche abierta es un peligro hermoso.”
(Ángel González, Otoños y otras luces)




Eu já estou com o pé nessa estrada
Qualquer dia a gente se vê
Sei que nada será como antes
Amanhã

Que notícias me dão dos amigos?
Que notícias me dão de você?
Sei que nada será como está
Amanhã ou depois de amanhã
Resistindo na boca da noite um gosto de sol

Num domingo qualquer
Qualquer hora
Ventania em qualquer direção
Sei que nada será como antes
Amanhã.

(Milton Nascimento e Ronaldo Bastos)

Um comentário:

Daniela Felix® disse...

Melhor notícia, IMPOSSÍVEL!
Saber que a produção textual, a necessidade da escrita ultrapassa e impera sob os limites academicistas! ahahahahahahahah (bela desculpa, né?! A mestra não pode saber!)
Também fui surpreendida pela necessidade de contar ao mundo o que eu não consigo traduzir dentro dos padrões metodológicos...
Que conforto saber que não estou só! Além, saber que nada mais e nada menos que a absoluta C. está devolta!
Distantes os corações, distantes as geografias, mas NUNCA distantes em pensamentos, nas distâncias e, menos ainda, nas afinidades!
Amo-te!
Dani Felix
(www.danielafelix.com > pra deixar reSistrado, como diria o Mané!)