4 de abril de 2009

Granada


Granada é um monte de ruas com casas por cima. É um atalho ou um longo caminho prum ano que vem. É um labirinto imenso que me leva pra dentro, que me traz outros ares, que me faz ouvir novas vozes. É um novo teor de álcool. Granada é uma bomba-relógio prestes a incendiar minha cidade.

2 comentários:

Carol disse...

Seja atalho ou seja um longo caminho prum ano que vem, pra uma vida toda... que vc se depare sempre com boas surpresas por essa estrada!
Q a bomba-relógio exploda 'e de alegria!
Te amo, minha querida!
Bjo grande!
C.

m.davi disse...

Uma voz, ou um eco? São rabiscos ou pedaços de textos? Acredito nas primeiras afirmações: de que é uma voz e um rabisco. Voz porque traz de novo o som da fala e rabisco porque é passível de se construr, desconstituir, reconstituir, guardar, enfim, não é propriamente a obra final, mas é uma constante obra presente.

Espero que essas explosões tragam bastante felicidade (como já estão trazendo!) pra ti e pros outros!

Forte abraço moça!sh